1. Contos Eróticos: A Vizinha

    Meu nome é Alice tenho 29 anos e a pouco me casei e fui morar em outra cidade longe de meus pais.
    Tudo novo não estava acostumado com vizinhos pois minha única moradia foi em uma chacara. Bem não vou prolongar essa conversa, vou falar de Aninha minha vizinha, rosto bonito e um corpo escultural.
    Logo que cheguei ela veio me dar boas vindas e até fiquei com um pouco de ciúmes pois ela abraçou meu marido com tanta força, e estava com uma regatinha sem sutiã isso me deixou intrigada. Pois bem, um belo dia meu marido saiu para trabalhar e eu lavando a frente de minha casa a vizinha recebe uma encomenda pelo correio, e me diz aqui nesta caixa esta o maior prazer de minha vida.
    E isso me despertou uma curiosidade e logo comecei a escutar gemidos e mexia com minha imaginação, era todos os dias.
    Eu precisava ver o que essa vizinha tão linda e gostosa fazia e o que tinha dentro daquela caixa, não contendo minha curiosidade.
    Preparei uma torta e levei para ela bem na hora que escutaria os gemidos, ela me recebeu em sua casa. Tudo parecia normal até que ela me disse:

    - Você não veio só trazer esse pedaço de torta, e sim ver o que tem dentro daquela caixa… Não vou mentir, isso você é misteriosa, e vi que é bem sexy esta sempre de olho no meu marido.

    - Não não… estou de olho em você. Venha, quer saber o que é um orgarsmo de verdade, então venha.
    Ela me levou até o seu quarto. Lá, o cheiro era de sexo. Logo antes de me mostrar foi me jogando em sua cama redonda, rasgou minha roupa e eu sentindo aquele cheiro não entendia o que estava acontecendo, fui deixando me levar pelas emoções.
    Ela começou a socar a língua em minha vagina, chupava gostoso meus peitos ficaram duros e arrepiados, comecei a sentir tesão muito tesão. Nao resisti e gosei. Ela diz, quer mais?! Vou vendar os seus olhos, eu deixei pois sentia muito tesão algo descomunal e logo ela foi colocando algo gelado em mim
    e enfiou o cacete e fui sentindo uma lingua em meu cu, eu que estava com olhos vendados e de quatro nao quiz saber o que era, deixei que a delícia chupada,
    ela tinha uma língua delicios,a nem meu marido conseguiu me dar tanto prazer. Enfim, mais uma vez gozei gostoso. Chegou a hora de ver o que era que ela tinha
    dentro da caixa. Pedi a ela para tirar a venda, ela pediu um tempo e logo tirou a venda e pude ver seu corpo nu, que mulher linda tinha que primeiro retibuir
    para ela o que ela havia me proporcionado, pedi para ela sentar em minha cabeça e chupei mais chupei sua buceta ela rebolava, depois coloquei ela de quatro
    e socava minha lingua em sua buceta e meu dedo em seu cu, ela susurrava até que gozou, ficamos horas só tranzando sem falar muito só sentindo.
    Até que chegamos ao fim. Eu pedi a ela que me mostrasse o que ela tinha dentro da caixa que havia chegado pelo correio, mais ela disse que ainda não
    era o momento que quando eu voltasse uma próxima vez ela mostaria.
    Senti que ela havia gostado o tanto que eu gostei e que isso seria o pretexto para eu voltar. A minha curiosidade só aumentava, mais o tesão por la era maior,
    voltei várias vezes, cada vez mais ela me surpreendia. Não precisa mais de meu marido pois só ela me satizfazia, “ô mulher gostosa…” Até que uma certa noite
    ela bateu em minha porta e disse, venha chegou a hora vou te mostrar. - Poxa vida, agora nao dá, mas ela fez uma carinha que não pude resitir e dei um jeitinho
    e fui até ela, mas antes precisa chupa-la, já era vicio. Depois de tudo, ela abriu a caixa, e oque tinha: - Vou ter que contar em uma próxima vez. Ou seja, era tudo um pretexto para que eu voltasse a chupa-la todos os dias, não havia segredo algum, apenas uma forma de eu sempre voltar e trazar com ela.

    2 years ago  /  0 notes  /